quinta-feira, 28 de março de 2013

Quarta da MPB : Zé Ramalho

@Megaovo facebook.com/megaovo

Dando continuidade ao projeto Quarta da MPB nessa semana temos o orgulho de falar de Zé Ramalho, um dos maiores compositores e cantores do Brasil,um homem do povo que canta o que o povo gosta, vivencia,que canta os amores e a paixão por sua terra,que canta pra um povo que mesmo sendo um povo marcado é um povo feliz.

Nascido José Ramalho Neto aos 03 de Outubro de 1949 em Brejo da Cruz no Pernambuco é conhecido nacionalmente como Zé Ramalho,de familia humilde aos dois anos de idade, seu pai se afogou numa represa do sertão, e passou a ser criado por seu avô. A relação entre os dois seria mais tarde homenageada na canção "Avôhai". Após passar a maior parte da sua infância em Campina Grande, sua família se mudou para João Pessoa. Esperava-se que ele se formasse em Medicina.

Assim que a família se estabeleceu em João Pessoa, ele participou de algumas apresentações de Jovem Guarda, sendo influenciado por Renato Barros, Leno e Lílian, Roberto Carlos & Erasmo Carlos, Golden Boys, The Rolling Stones, Pink Floyd e Bob Dylan.
Em 1974, ele tocou na trilha sonora do filme Nordeste: Cordel, Repente e Canção, de Tânia Quaresma. Na época, passou a misturar as suas influências: de Rock and roll a forró. Um ano depois, gravou seu primeiro álbum, Paêbirú, com Lula Côrtes na gravadora Rozenblit. Hoje em dia, as cópias desse disco valem muito por serem raras.
Em 1977, gravou seu primeiro álbum solo, Zé Ramalho,Em 1979  o segundo álbum, A Peleja do Diabo com o Dono do Céu. O terceiro álbum A Terceira Lâmina, foi lançado em 1981.Os anos oitenta seriam palco de uma queda no sucesso de Zé Ramalho, com o lançamento dos álbuns Pra Não Dizer Que Não Falei de Rock ou Por Aquelas Que Foram Bem Amadas (1984), De Gosto de Água e de Amigos (1985), Opus Visionário (1986) e Décimas de um Cantador (1987). Uma possível causa dessa fase ruim seria o uso de experimentalismo na música. Em 1990, ele tocou nos Estados Unidos para um público brasileiro.
Em 1996, gravou o álbum ao vivo O Grande Encontro com  famosos nomes da MPB Elba Ramalho, Alceu Valença e Geraldo Azevedo.
O sucesso de O Grande Encontro foi grande o suficiente pra que Zé Ramalho decidisse gravar uma nova versão de estúdio em 1997, desta vez sem Alceu Valença. O álbum vendeu mais de 300.000 cópias, recebendo os certificados ouro e platina.
Para celebrar seus vinte anos de carreira, lançou o CD Antologia Acústica. A gravadora Sony Music também lançou uma box set com três discos: um de raridades, um de duetos e um de sucessos. 
Antes do fim do milênio, um outro sucesso Admirável Gado Novo (primeiramente lançado no álbum A Peleja do Diabo com o Dono do Céu) foi usado como abertura da novela O Rei do Gado.O álbum foi indicado para o Latin GRAMMY Awardde Melhor Álbum de Música Regional ou de Origem Brasileira.
O primeiro trabalho do século XXI foi o álbum tributo Zé Ramalho Canta Raul Seixas, com regravações de canções do músico baiano. Dividiu o palco com Elba Ramalho no Rock in Rio III. Em 2002, a Som Livre lança um CD de grandes sucessos chamado Perfil, parte da série Perfil. Também em 2002, veio o décimo sétimo álbum, O Gosto da Criação.
Em 2003 fez uma participação especial na faixa "Sinônimos" do álbum Grandes clássicos sertanejos, de Chitãozinho & Xororó.
Em 2005, gravou seu único álbum solo ao vivo, Zé Ramalho ao vivo. Seu mais recente álbum de inéditas Parceria dos Viajantes, foi lançado em 2007 e indicado para o Latin GRAMMY de Melhor Álbum de Música Popular Brasileira. 
Seu trabalho mais recente de covers é o álbum Zé Ramalho Canta Beatles, lançado em agosto de 2011, com regravações do Fab Four. Em 2012, lançou o seu primeiro disco de inéditas em cinco anos, Sinais dos Tempos, por meio de sua nova gravadora própria, Avôhai Music.


 Zé Ramalho é sem duvidas um dos maiores nomes de toda uma geração,é daquele tipo de artista que todo brasileiro teria a obrigação de conhecer.

Zé Ramalho - Avôhai 

Salve Zé Ramalho e Admirável Obra

Fonte: Wikipedia 

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário