terça-feira, 12 de março de 2013

Oz: Mágico,Poderoso e Maravilhoso

@Megaovo facebook.com/megaovo

A adaptação do Diretor Sam Raimi (da trilogia Homem Aranha) Oz Mágico e Poderoso estreou na ultima sexta (08) nos cinemas brasileiros e é sombra alguma de duvidas a melhor produção fantasiosa do ano,com um elenco impecável como James Franco (Oz),Rachel Weisz (Evanora a Bruxa Má), Mila Kunis (Theodora  a Bruxa Má do Oeste) e a elegante e doce Michelle Williams (Glinda a Bruxa Boa),uma história que te prende do começo ao fim e uma produção impecavelmente encantadora.
Tendo em vista que nesses últimos anos, temo-nos deparado com vários filmes que tentam adaptar as histórias dos contos de fadas antigos, mudar radicalmente essas histórias e que acabaram piorando tudo quando trocaram o ‘foco principal’ de tudo isso, por trocar a temática numa fútil tentativa de agradar o espectador. No caso de Oz- Mágico e Poderoso, o fato dessa mudança não ter ocorrido drasticamente acaba sendo uma das maiores qualidades do filme. Não, a história não é como nos livros. Na verdade, é totalmente diferente da que vemos lá. Aqui, Oz é um mágico de circo que não tem nada de especial, a não ser pela sua anormal expectativa de se tornar um Grandioso ser. Sua vontade é grande, mas ele parece não conseguir atingir seu objetivo de modo algum, e os negócios vão de mal a pior. Até que um dia, fugindo do namorado de uma de suas paqueras, entra num balão de ar que vai em direção a um furacão e acaba parando na terra de Oz, onde a mágica realmente começa.

A computação gráfica é trabalhada com excelência em todos os momentos do filme, já que a maioria dele se passa nesta terra encantada. O modo como os cenários são retratados e até mesmo os efeitos especiais dos personagens secundários é magnífico, e esse é um dos grandes atrativos, realmente resgatando aquele espírito que o Mágico de Oz antigo queria passar. É interessante destacar que, para fazer um contraste entre o mundo ‘real’ e o mundo de Oz, o diretor Sam Raimi optou por colocar a primeira parte em preto e branco. Isso adiciona um dinamismo muito legal de se ver no filme, porque mesmo vendo as imagens bem construídas na tela, bem claras, elas estão em preto e branco, e dão um tom mais leve ao filme. A explosão de cores na segunda parte é imediata; Até a tela aumenta um pouco de tamanho quando saímos do ano de 1905 e entramos em Oz, onde o tempo não passa. A partir daí, percebemos um tom mais cadenciado no filme, que conta com uma história interessante,como a "origem" da Bruxa Má do Oeste, mas que foca mais nos personagens e não somente no desfecho final.
A geografia fantasiosa do filme também é bem interessante, e retoma aquele conceito de um mundo muito fantasioso, onde qualquer coisa pode acontecer. Mas não é como, por exemplo, Alice no País das Maravilhas. Pelo contrário, o filme é divertido e adiciona conceitos novos à filosofia já embutida no filme/livro antigo sem estragar absolutamente nada; de modo anatômico: ele acrescenta novas ideologias e gera mais interesse do espectador. E, é claro, você pode simpatizar com dúzias de personagens… Dúzias, de tão bons que eles são.


Trailer de "Oz Mágico e Poderoso"

Oz: Mágico e Poderoso é um ótimo filme. Diverte, cativa e passa várias  mensagens morais a quem assiste, justamente não saindo das propostas originais do autor L. Frank Baum. Esplêndidos efeitos especiais, dinamismo no jogo de câmeras, atuações muito boas que tendem sempre a um lado cômico e que busca entreter e uma história que, em parte, nós já conhecemos. Mas que, em meio a tantas excelentes qualidades, tanta tecnologia, tantos atrativos, acaba se tornando ‘desconhecida’. Oz é um filme que conseguiu cumprir seu objetivo: renovar uma vista sobre um conto com excelência. Coisa que está ficando muito difícil de se achar nos últimos tempos.



Fonte: http://supernovo.net/cinema/oz-magico-e-poderoso-critica/ 

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário