terça-feira, 26 de março de 2013

GERARD WAY, VOCALISTA DO MY CHEMICAL ROMANCE, ESCREVE CARTA PARA OS FÃS

@Megaovo facebook.com/megaovo

Após anunciarem o fim da banda My Chemical Romance, na sexta-feira (22), como dissemos aqui, Gerard Way, o vocalista, escreveu uma carta para seus fãs, falando dos seus pensamentos sobre o fim da banda.
O vocalista começa carta falando sobre o modo como lidou quando a ficha caiu que a banda havia acabado, e a partir daí começou a fazer algumas reflexões.
“Nós éramos espetaculares. Sabia disso a cada show, a cada concerto eu senti isso, com ou sem confirmação externa”, escreveu. “Houve algumas falhas, às vezes, ou eu ficava sem voz – mas, ainda assim, éramos ótimos. É essa crença que nos fez ser quem éramos, mas também outras coisas, todas elas, vitais – e, todas as coisas que nos fizeram ótimos foram as mesmas que acabaram conosco: ficção. Fricção. Criação. Destruição. Oposição. Agressão. Ambição. Coração. Ódio. Coragem. Despeito. Beleza. Desespero. AMOR. Medo. Glamour. Fraqueza. Esperança. Fatalismo.”
Na carta, ele fala sobre um show em especial, que aconteceu em Asbury Park, Nova Jersey, em 2012, que foi quando as coisas começaram a mudar. “Este é diferente – uma estranha ansiedade jorrou de mim, que eu posso apenas imaginar que é o sexto sentido que se sente nos últimos momentos de vida. Minhas pupilas se reduziram a zero e eu parei de piscar. Minha temperatura corporal é gelada. Nós recebemos o aval para subir no palco. O show é bom. Não ótimo, nem ruim, só bom”, comentou. “Eu estou atuando. Eu nunca atuo no palco, nem mesmo quando parece, mesmo quando eu estou extremamente emotivo ou em um monólogo. De repente, eu comecei a ficar altamente autoconsciente, quase como se estivesse saindo de um sonho. Eu comecei a me mover mais rápido, mais frenético, descuidado – tentando sacudir isso para fora de mim –, mas tudo que isso criou foi silêncio. Os amplificadores, os gritos do público, tudo começou a desvanecer.”
Após agradecer aos fãs, a banda, toda a equipe, e deixar claro que não pretende mostrar a banda como vítima, ele se despede. “Já que sou muito ruim em despedidas, eu me recuso a deixar que esta seja uma dessas. Eu vou embora com uma última coisa: o My Chemical Romance acabou. Mas ele nunca morrerá. Está vivo em mim, nos outros rapazes, e dentro de cada um de vocês. Eu sempre soube disso. E acho que vocês também.Porque não somos uma banda – mas, sim, um ideal.”
Para ler a carta na íntegra, em inglês, clique aqui.

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário