segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

O Papa é Pop

@Megaovo facebook.com/megaovo



Uma noticia inesperada pegou o mundo de surpresa na manhã dessa segunda-feira (11) de carnaval. O Papa Bento XVI renunciou ao pontificado.
Em discurso ao Consistório dos Cardeais reunidos diante dele, o Papa declarou que o faz "bem consciente da gravidade deste ato" e "com plena liberdade". O papa fez o pronunciamento em latim durante um consistório para a canonização de dois mártires no Vaticano. No comunicado, Bento XVI, de 85 anos, afirmou que vai deixar o cargo devido à idade avançada, por "não ter mais forças" para exercer o cargo ele completa 86 anos em abril. O  Vaticano confirmou a notícia e afirmou que o papado vai ficar vago até que o sucessor seja escolhido. Segundo o porta-voz da Santa Sé, Federico Lombardi, espera-se que o Conclave de cardeais, que ainda não foi convocado, eleja o novo pontífice em março. O papado de Joseph Aloisius Ratzinger, que sucedeu a era de João Paulo II,  começou em 2005. 
É evidente que a renúncia de um Papa é algo inaudito nos tempos modernos. A última renúncia foi de Gregório XII em 1415. Diante da novidade do gesto, no entanto, já começam a surgir teorias fabulosas de que o Papa estaria renunciando por causa das dificuldades de seu pontificado ou que até mesmo estaria sofrendo pressões não se sabe de que espécie. O fato, porém, é que, conhecendo a personalidade e o pensamento de Bento XVI, nada nos autoriza a arriscar esta hipótese. No seu livro Luz do mundo (p. 48-49), o Santo Padre já previa esta possibilidade da renúncia. Durante a entrevista, o Santo Padre falava com o jornalista Peter Seewald a respeito dos escândalos de pedofilia e as pressões sofridas pelo cargo.


A renúncia de Bento XVI foi tão surpreendente que levou o diretor de redação do jornal italiano La Reppublica a escrever: "Veremos uma sucessão de ineditismos. Não há história, literatura, doutrina, sequer uma prática estabelecida à qual se referir. O conclave não ocorrerá depois das exéquias, mas com um papa vivo. Esse conclave deverá se confrontar não somente com a memória do papa, mas com a força de seu pensamento - neste caso um papa teólogo, intelectual."
Aos católicos fica a sensação de “traição” do Santo Padre ou o Alivio diante a Sinceridade de não mais conseguir exercer a função e aos demais fica a sensação de que os pilares da Igreja Católica está se ruindo definitivamente, e para os mais “exagerados” (ou não) a certeza de que existe algo de errado dentro do coração da Igreja e que está começando a ser revelado (isso seria praga de Dan Brown?).
Agora cabe a nós, católicos ou não, esperar o conclave que escolherá o novo representante da Igreja Católica, o Santo Padre,o Papa.
Um sinal de Deus? Um relâmpago caiu sobre o teto da Basílica de São Pedro durante uma tempestade esta noite em Roma, neste mesmo dia em que oPapa Bento XVI anunciou sua renúncia!
Vejam a foto histórica, postada ainda agora no Daily Mail de Londres!


Reações:

0 comentários:

Postar um comentário