quinta-feira, 17 de maio de 2012

Top 10 : Os 10 maiores momentos de Donna Summer em vídeo

Sabe o que era mais inacreditável em Donna Summer? Quando ela cantava, você nunca sabia quando era ao vivo ou gravação. A capacidade, a perfeição e o alcance vocal era tão perfeito que chegava a ser impossível identificar.
Sabe o que era mais inacreditável em Donna Summer[2]? A alegria e a diversão ao cantar. Não foi à toa que ela ganhou a coroa de rainha da disco music.
Se Diana Ross, Whitney Houston, Roberta Flack, Toni Braxton e muitas outras soul divas cantam sobre as dores do amor, Donna Summer só queria saber de sexo, diversão e poder feminino.
“Hot Stuff”, “Love to Love You, Baby”, “Bad Girls” e “I Feel Love” são músicas que mostram isso muito bem.
O Papelpop separou os 10 momentos em vídeo mais legais de Donna Summer para você relembrar (ou conhecer!)…

1) “I Feel Love”, hit essencial da disco music!

Beyoncé engatinha no chão pedindo piedade ao ver Donna Summer cantando isso. Madonna chora por não ter a mesma voz e fica encantada com a modernidade sonora da faixa mesmo naquela época. E a música é tudo que Whitney Houston sonhou para sair do estigma de cantora romântica.
“I Feel Love”, de 1977, é um dos grandes hinos de Donna Summer e uma das melhores músicas pop de todos os tempos (na opinião deste humilde lindo e soberano blog que vos escreve).


2) “Last Dance” e o agudo impecável nos anos 70…

Uma das melhores apresentações de “Last Dance”. Bem nos anos 70, com aquele contrabaixo perfeito da disco music, o agudinho de mezzo-soprano da Donna Summer ainda intacto no início da música, o alcance vocal no refrão…
Tudo é lindo, alegre, funky e divertido demais.

3) “Bad Girls” num especial para a TV dos anos 80

Amo! Amo! Amo essa apresentação de “Bad Girls” para a TV. Donna Summer fazia um teatrinho com as garotas más, a polícia chegava pra levar todo mundo, mas ela seduzia o homem de Lei e caia na farra com ele.
Aliás, o que era aquela roupa? Nos anos 70, era muito comum ver Donna Summer, Cher, Pati Labelle (e depois Grace Jones!) com figurinos exóticos e criativos. Por isso não é espanto ou novidade alguma ver Lady GaGa fazendo o mesmo hoje em dia e às vezes até usando a mesma ideia.
A música pop sempre teve figuras femininas loucas e extravagantes.

4) “Hot Stuff” no American Music Awards de 81

Hoje esta música é sinônimo de strippers e homens tirando a roupa (culpa do ótimo filme “Ou Tudo ou Nada (Full Monty)”. Mas, nos anos 70, isso era “somente” um dos grandes hinos da disco music (e da Donna Summer).
Acima, ela canta a faixa em 1981 no American Music Awards. Lembra aquilo que eu falei que não dava pra saber se Donna Summer estava cantando ao vivo ou fazendo playback? Este é um exemplo. Sim, isto era ao vivo.

5) “On the Radio” em 1983

Nos anos 70, sem MTV, sem internet, sem iPod, etc., a música só saía do rádio, dos toca-discos e das boates. E seus pais (ou avós!) lembram muito bem o que tocava no rádio naquela época. “On the Radio” da Donna Summer era uma das músicas mais tocadas, um dos maiores hits da cantora.
Nesta apresentação de 1983, ela brincava com isto ao ligar um rádio em cima do palco.

6) A sensualidade de “Love to Love You, Baby”

Diva! Diva! Diva da disco, do pop, do sexo! Beyoncé deve ter assistido isso milhões de vezes com admiração, boca aberta e um bloquinho pra tomar notas. Tanto que usou um sample da mesma música em “Naughty Girl”.
Aliás, esta música me lembra uma cena muito engraçada de “3 Non Blondes”, um programa de humor britânico.

7) O bolo na chuva de “MacArthur Park”

Um das minhas músicas favoritas da Donna Summer. Porque a letra pouco importa. A melodia é o mais legal. Tanto que a letra não faz sentido algum. “Alguém deixou o bolo na chuva/ Eu não penso que eu poderia pegar/ porque ele leva muito tempo para assar/ e eu nunca terei a receita de novo”.
É basicamente uma dico music sobre alguém que deixou o bolo na chuva. Hahahaha! O filme “Rainha do Deserto” faz piada com isto e fiquei feliz ao ver que o musical, que está em cartaz em São Paulo, continua com a mesma graça ao cantar essa música.

8) “She Works Hard for the Money” no Grammy de 1984!

Hino feminino! Marcou o finalzinho da disco music e um dos grandes sucessos de Donna Summer nos anos 80. O poder das mulheres na música pop começava nesta época. No Grammy, Donna Summer cantou o hit ao vivo (mas parecia até playback de tão impecável, como sempre).

9) O clipe de “This Time I Know It’s for Real”

Não foi só nos anos 70 que Donna Summer reinou. Muitas mães de hoje arrasaram dançando essa na boate nos anos 80. Hahaha!
No finalzinho dos 80, a música pop era basicamente dance. Só dava Kylie Minogue, Dead or Alive, Bananarama, Rick Astley e outros. Donna Summer tinha “This Time I Know It’s for Real” e com esta música ela voltava ao topo das paradas.

10) Donna Summer e Barbra Streisand sabiam que eram cantoras perfeitas…

Ambas sabiam muito bem reconhecer uma boa cantora. Porque ambas são duas cantoras fantásticas. Acima, Donna Summer faz uma apresentação excepcional do clássico “The Way We Were”, imortalizado por Barbra Streisand.
Juntas, as duas chegaram a cantar a música “No More Tears (Enough is Enough)”, um dos grandes hinos femininos da música popular norte-americana.
Donna Summer fica na memória como musa, rainha e grande diva da disco music…
“Descanse em paz, querida Donna Summer. Sua voz foi a trilha sonora de uma década”, disse o produtor musical Quincy Jones. “Uma das minhas inspirações mais antigas, descanse em paz Donna Summer. Bad Girls para sempre”, disse Kylie Minogue. “Descanse em paz, Donna Summer! Você mudou o jogo!”, disse Mary J. Blige.
E agora a gente só espera que, se alguém for fazer um filme-biografia em Hollywood, coloque Beyoncé para interpretar a cantora. Atualmente, não há ninguém melhor que ela para cantar e arrasar na pele da grande diva da disco music.
Beyoncé já foi Diana Ross e agora bem que podia ser Donna Summer. Só ficaria faltando interpretar Tina Turner pra completar a trindade de inspiração da musa atual do R&B.
Que Donna Summer descanse em paz. E a gente fica por aqui dançando e relembrando a voz perfeita que marcou os anos 70.

papelpop.com.br

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário