segunda-feira, 25 de junho de 2012

MPF pede anulação do Sisu do 2º semestre





O Ministério Público Federal (MPF) no Ceará divulgou nesta segunda-feira que pediu a anulação do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) do segundo semestre de 2012. O procurador da República Oscar Costa Filho entrou com ação civil pública, no último sábado, contra o processo seletivo que começou a ser realizado este mês e que teve o resultado divulgado nesta segunda-feira.

A ação pede que apenas a primeira edição do Sisu seja considerada. De acordo com o procurador, a realização de um novo processo prejudica candidatos que já estavam inscritos no Sisu e a possibilidade de alunos matriculados concorrerem novamente pode favorecer um esquema de comercialização de vagas em universidades. “Deveria acontecer este ano como foi em 2011, em que apenas uma edição foi realizada. Aqueles alunos que não foram chamados no primeiro semestre, ingressariam na universidade no semestre seguinte, por ordem de classificação. Mas ao abrir um novo edital, zerou tudo e os alunos que já participaram da seleção devem concorrer novamente, o que não pode”, afirma o procurador.

O procurador revela que alunos que já estavam matriculados no curso de direito de uma universidade do Ceará apareceram novamente na lista de classificação do segundo semestre. Para ele, o Sisu permite que alunos ocupem vagas em instituições de ensino sem participarem do processo de seleção. “Quando o aluno abandona o curso, abre uma vaga e uma outra pessoa pode entrar na justiça com o pedido de transferência. O Sisu é vulnerável à manipulação de vagas, com a segunda edição, aumentou a vulnerabilidade. Colocaram os candidatos do primeiro e segundo semestre no mesmo patamar. A partir de agora acontece todo tipo de manipulação”, afirma.

O esquema de comercialização de vagas vem sendo investigado pelo MPF desde que foram feitas denúncias que alunos estariam abandonando cursos, para deixar as vagas disponíveis àqueles que não fizeram o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) ou ficaram mal classificados no Sisu. Foram instaurados dois procedimentos administrativos para investigar o suposto esquema de compras de vagas.


Opinião: O problema é que o pessoal coloca curso que não quer estudar no primeiro semestre, tirando vaga de quem quer estudar no curso. Depois no segundo semestre, tenta de novo e consegue no curso que deseja e acaba deixando a vaga do primeiro semestre sem ninguém. Há muito desperdício de vagas por isso. 


Fonte: Diario de Pernambuco

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário