domingo, 9 de junho de 2013

PLAYBOY pode estar com os dias contados no Brasil

@Megaovo facebook.com/megaovo

Revista PLAYBOY pode sair de Circulação no País

O Sonho começado nos Anos 70 pode chegar ao fim,a Revista Masculina Playboy pode deixar de ser publicada no Brasil. 
Que a revista já passa por um momento critico de pouca vendagem e estrelas cada vez mais escassas isso não é novidade há tempos,mas o choque provocado em homens, fãs e colecionadores da revista foi realmente intenso. 
Depois da Morte de Roberto
Civita o Grupo Abril anunciou uma reestruturação que pode passar a foice no pescoço da revista Playboy,que como todos sabem vem dando mais prejuízo do que lucro para a empresa.








Segue a Nota do Jornal Estadão que publicou a noticia de reestruturação do Frupo Abril e das possíveis revistas que sairam de circulação:
"A Abril S.A. anunciou na ultima sexta (07) uma reestruturação do grupo, com agrupamento de unidades de negócios. A empresa disse, em comunicado, que as mudanças têm o objetivo de aumentar o "equilíbrio entre produção de conteúdo impresso e digital" e a "racionalização dos recursos".

A reestruturação cortou de dez para cinco o número de unidades de negócios da Abril. A divisão de Negócios e Tecnologia, por exemplo, agora passa a fazer parte da unidade que responde pela Exame. A estrutura da Abril passou a contemplar as seguintes unidades: Veja, Exame, Abril Segmentadas, Assinaturas e Novos Negócios Digitais. Com a nova estrutura, as divisões que estavam subordinadas à Abril Mídia passam a responder diretamente ao presidente da Abril S.A., Fábio Barbosa. A empresa anunciou também que Victor Civita Neto será o novo presidente do conselho editorial da Abril.

Com a fusão de unidades de negócios, seis executivos deixaram a empresa, conforme informou a empresa em comunicado. Ao todo, cerca de 70 profissionais foram demitidos ontem, segundo apurou Estado.
Em reuniões internas, executivos da companhia disseram que 11 revistas deixarão decircular, como Playboy, Capricho e Contigo, apurou o Estado."



Fonte: Estadão

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário